Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Corsário e a Ciência

Textos de divulgação científica e reflexões sobre Ecologia da Saúde, à luz da teoria evolutiva ultradarwinista:

O Corsário e a Ciência

Textos de divulgação científica e reflexões sobre Ecologia da Saúde, à luz da teoria evolutiva ultradarwinista:

03.11.12

Falsidade genotípica ou falsidade amorosa?


Sérvio Pontes Ribeiro

Meu amigo Mamede postou no facebook uma decisão jurídica na China que é a cara deste blog. Uma chinesa rica e muito feia gastou uma fortuna para ficar bonita, casou-se com um “enganado”, e quando veio o filho, feio como os genes, o sujeito descobriu a farsa e a processou, tendo ganho a causa! Fabulosa decisão jurídica com fundamentação sociobiológica!! Simplesmente a mais legítima causa genética. De fato, isto poderia ser ampliado para as mais diversas "farsas" adaptativas que inventamos! Nas mulheres, maquiagem e pinça na sobrancelha ampliam a distância dos olhos e a simetria; nos homens, barbas simetricamente cortadas fazem o mesmo, aumentando o queixo e dando uma impressão de maior virilidade. Mulheres “botocadas” com lábios mais carnudos seriam "artificialmente" mais férteis, e homens "bombados" com remédios são falsamente troncudos e viris (lembrando aos marombeiros de plantão, dá certo! Há evidências científicas que depois do dedo da aliança – 1º lugar – as mulheres olham para o peito e para os ombros dos homens, sem repararem que tu é uma Barbie bombada que não consegue nem levantar uma caixa de vinho sozinho)!

 

Bem, se casássemos como queria o Alienista de Machado de Assis, claro, isto tudo seria altamente condenável! Ou seja, sempre que o rege nossos impulsos é nossa inevitável biologia reprodutiva e nossos genes, aumentamos as chances de nos ferrarmos enquanto pessoas (vejam um post antigo aqui, sobre androgenia e traição feminina)! Claro que não há como negar que a atração sexual não é muito possível sem os elementos biológicos mínimos, que podem ser trazidos à tona artificialmente para uma vida sexual mais saudável (não acredito em casamento assexual ou em tanto amor assim para certos aspectos serem tão tolerados, sem dinheiro envolvido – hei! Ainda somos biológicos e os genes tomam as rédeas sempre que a moral esmaece), porque não? Agora se quer saber o que penso além dos genes? Se não há amor, somos vítimas e escravos do esperma e do óvulo. Eu no lugar da chinesinha processava o marido por falsidade amorosa!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.